Esperamos o retorno de nossos paratletas brasileiros com muito orgulho. Com o desempenho deles nos Campeonatos Europeus estamos mais perto das Paralimpíadas de Tóquio.

Imagem CPB Encerramento Copa do Mundo na Geórgia com Tayana Medeiros, João Maria de França e Mateus Assis.

 

Texto Cristiane de Paula – Ascom CINTESP.Br

Fonte: Ascom CPB  23/05/2021

As boas notícias vêm da Geórgia e de Portugal onde aconteceram as competições da Copa do Mundo em halterofilismo e Open Europeu de natação respectivamente.

Imagem MGTV1: Lara com medalha de ouro

No halterofilismo os uberlandenses Lara Aparecida e Mateus Assis somaram à equipe de 8 paratletas brasileiros que competiram em Tbilisi, capital da Geórgia na Copa do Mundo de Halterofilismo. Mateus conquistou prata por equipes mistas até 80kg.  E, na sexta-feira( 21) Lara, da categoria de até 41kg, conquistou as medalhas de ouro, na categoria júnior e bronze, na categoria adulto levantando 90 kgs. Ao todo, o Brasil conquistou sete medalhas na Geórgia.

Na natação, os meninos do Praia Clube, Gabriel Bandeira e João Pedro Brutus se destacaram no Open Europeu de natação. Ao todo foram 7 medalhas, sendo seis de ouro e uma de prata. Gabriel  conquistou o seu sexto ouro na etapa de Madeira, Portugal, do World Series da modalidade, circuito internacional da natação organizado pelo Comitê Paralímpico Internacional (IPC, sigla em inglês).

Imagem CPB Gabriel Bandeira recordista das Américas

O destaque desse Open foi a quebra de recorde, Gabriel, estreante em competições internacionais paralímpicas, estabeleceu novo tempo de 54s99, nos 100m borboleta da classe S14 (para nadadores com deficiência intelectual), novo recorde das Américas. Os atletas que representaram o Brasil foram: Gabriel Bandeira, João Pedro Brutus e André Luiz Bento. Todos são da classe S14, para atletas com deficiência intelectual.

O Centro Brasileiro de Referência em Inovações Tecnológicas para o Esporte Paralímpico (CINTESP.Br®) é vinculado à Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e com apoio do Ministério de Ciência e Tecnologia (MCTI) auxilia o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) na preparação em todas as modalidades do paratleta iniciante ao de alto rendimento. As tecnologias desenvolvidas pelo CINTESP.Br® também são transferidas para atender à sociedade nas áreas de saúde, educação, esporte lazer e vida diária para pessoas com deficiência, mobilidade reduzida e doenças raras.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário