Projetos de pesquisa

2019 – Atual

DESENVOLVIMENTO DE UM CIMENTO ÓSSEO NANOESTRUTURADO À BASE DE AÇAÍ E HIDROXIAPATITA PARA TRATAMENTO DE FRATURAS SEM O USO DE IMPLANTES/PARAFUSOS

Descrição: Para o programa de Inovação Tecnológica em Pequenas Empresas PIPE/FAPESP – Fase 1 – 3º Ciclo/2017. O grupo de pesquisadores vem desenvolvendo e estruturando pesquisas voltadas para a área de Biotecnologia, em especial nas áreas médica, odontológica e veterinária. Este projeto está sendo desenvolvendo na área de pesquisa de Bioengenharia e envolvem aluno de doutorado, pesquisadores, profissionais da área da saúde e professores de Universidades Federais e Estaduais. As pesquisas são voltadas para o desenvolvimento de biomaterias e processos de fabricação. A 1º proposta de desenvolvimento deste projeto é denominada de (HIGH-NAPHA CIMENX), um novo cimento/enxerto ósseo nanoestruturado, ecologicamente correto utilizando bionanocompósitos de Poliol de Açaí e hidroxiapatita destinados a reparos de fraturas e ao crescimento celular, boa adesão final e resistência mecânica compatível à estabilização de fraturas ósseas sem o uso de implantes/parafusos de estabilização interna. Este novo cimento/enxerto ósseo possui uma maior resistência mecânica, e também elementos que induzem uma redução do tempo de osseointegração. Em geral, cimentos ósseos existentes no mescado não são utilizados diretamente para o reparo de fraturas e sim para aderir próteses. Para o desenvolvimento deste biomaterial, será fabricado um Módulo de Reação dos Biomateriais – BRM (Biomaterial Reaction Module), Este novo equipamento será projetado para executar o processo de mistura dos componentes de forma automatizada, controlando o tempo, componentes e temperatura, com a finalidade de melhorar as propriedades físicas e mecânicas dos biomateriais, sendo possível realizar os processos de polimerização em ambiente fechado e manipular diversos biomateriais..

Pesquisadores: Cleudmar Amaral de Araújo; Cecília Amélia de Carvalho Zavaglia; Roberto da Cunha Luciano; Roberto Mendes Finzi Neto; Daniela Moura Yoshida (Coordenadora); Carmen Gilda Barroso Tavares Dias; Felipe Carvalho Zavaglia; Fabiano Costa Almeida; Gilmara de Nazareth Tavares Bastos.

Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo – Auxílio financeiro.

2017 – Atual

FABRICAÇÃO E TESTES DE 02 PROTÓTIPOS – EQUIPAMENTO PARA PERSONALIZAÇÃO DE BANCOS DE ARREMESSO PARALÍMPICOS E EQUIPAMENTO PARA TREINAMENTO MUSCULAR DE MEMBROS INFERIORES UTILIZANDO VIBRAÇÃO

Descrição: O NÚCLEO DE HABILITAÇÃO/REABILITAÇÃO EM ESPORTES PARALÍMPICOS – NH/RESP tem a missão de organizar, estruturar e planejar ações de pesquisas voltadas para o desenvolvimento de tecnologias assistivas no esporte, em especial ao desporto paralímpico, visando uma atenção à saúde e a inclusão social das pessoas com deficiência. Este projeto está sendo desenvolvendo na área de pesquisa de esporte paralímpico e envolvem alunos de Doutorado e Mestrado, ligados ao Programa de Pós-graduação em Engenharia Mecânica/UFU e ao Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde/UFU, bem como, alunos de Iniciação Científica. Apesar das pesquisas serem voltadas para pessoas com deficiência, existe uma dedicação especial aos atletas paralímpicos. O 1º protótipo apresentado neste projeto é denominado de (THFRAME), um equipamento para personalizar bancos de arremesso que será utilizado por atletas paralímpicos da modalidade de arremesso de peso e dardo. Este equipamento possibilita ajustar/regular uma série de medidas antropométricas dos atletas e automaticamente transferir estas medidas para a estrutura de um novo banco de arremesso que será fabricado parcialmente em impressora 3D. O processo é todo automatizado. As questões de adequação postural são levadas em consideração a fim de melhorar a estabilidade do atleta durante o arremesso do peso. Neste projeto existe uma aluna de doutorado e um aluno de iniciação científica. O 2º protótipo está relacionado com uma linha de pesquisa do NH/RESP voltado para o desenvolvimento de equipamentos para treinamento muscular com vibração mecânica e que utiliza um sistema de resistência de baixa inércia, totalmente inovador. Nestes equipamentos é possível realizar o treinamento em velocidades mais altas comparativamente às de um equipamento de musculação convencional e, com isso, permite personalizar treinamentos específicos para atletas que necessitam de fibras rápidas, porém, com ganho de força. No entanto, soma-se a este efeito que o treinamento será feito na direção do encurtamento das fibras musculares utilizando vibração mecânica. Este novo protótipo é aplicado para o treinamento de membros inferiores com vibração mecânica.

Pesquisadores: Cleudmar Amaral de Araújo – Coordenador; Sonia A Goulart Oliveira ; Fernando Lourenço de Souza ; Caroline L. G. de Abreu ; Sérgio Augusto Albino Vieira ; Francisco de Paulo Lépore Neto ; Jonas Profeta ; Silvio Soares dos Santos ; Lucas de Souza Cardoso ; Renato Montandon de Lima ; José Eduardo Arruda Neto ; Thiago Gomes Cardoso ; Lucas Pereira Ferreira de Rezende ; Diego Algusto Costa Alves ; Daniela Moura Yoshida – Integrante.

Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais – Auxílio financeiro.

2016 – Atual

PRESCRIÇÃO DE CADEIRAS DE RODAS ESPORTIVAS E AVALIAÇÃO DO CONDICIONAMENTO FÍSICO DE CADEIRANTES – NOVOS EQUIPAMENTOS

Descrição: O NÚCLEO DE HABILITAÇÃO/REABILITAÇÃO EM ESPORTES PARALÍMPICOS – NH/RESP foi criado em 2012 no âmbito da UFU. O NH/RESP é formado por uma equipe multidisciplinar envolvendo professores das Faculdades de Engenharia Mecânica, Mecatrônica, Medicina, Educação Física, Fisioterapia e Odontologia, de universidades brasileiras e estrangeiras. O núcleo tem como objetivo organizar, estruturar e planejar ações de pesquisas em tecnologia assistiva voltadas para o desenvolvimento de atividades físicas e esporte, em especial o desporto paralímpico. A missão é desenvolver pesquisas visando atenção à saúde e inclusão social de pessoas com deficiência. São parceiros do NH/RESP a APARU/Uberlândia e a SECTES/MG. Nesta proposta, direcionada para a área macro -Esporte e Lazer, serão desenvolvidos 02 subprojetos que fazem parte de uma linha de pesquisa relacionada com o desenvolvimento de equipamentos personalizados e de baixo custo para o desporto paralímpico. A proposta é buscar a melhoria da performance, reabilitar e avaliar o condicionamento físico de pessoas com deficiência. No subprojeto 1 será fabricado, montado, testado e otimizado um novo equipamento para personalização de cadeiras de rodas esportivas. Este equipamento foi projetado em 2016, porém, falta a última etapa que é a fase de fabricação, testes e validação. Ele permite prescrever cadeiras de rodas esportivas, mas também pode ser utilizado para a prescrição de cadeiras de rodas de vida diária. Possui um caráter inovador (registro de patente: PI1003925-2, data depósito 28/06/2011) e através de 22 regulagens independentes possibilita a personalização completa de uma cadeira de rodas esportiva de alto rendimento. Nesta proposta, a validação deste equipamento será feita através da prescrição completa de uma cadeira de rodas para o basquete paralímpico. No subprojeto 2 será fabricada e validada a 3ª versão de um novo ergômetro para cadeirantes. Este protótipo vem sendo desenvolvido desde 2007 e, nesta fase (3ª versão) será fabricado, testado e validado. Este equipamento permite a avaliação do condicionamento físico de cadeirantes ou pessoas com mobilidade reduzida e possui diversas inovações comparativamente à 2ª versão. Após a fabricação, testes, otimização e melhoria do design, os equipamentos serão apresentados ao Comitê Paralímpico Brasileiro e serão amplamente divulgados na mídia. Acredita-se que ambos possam despertar o interesse de empresas do setor de cadeiras de rodas. O ergômetro para cadeirantes será apresentado a Centros de Treinamento como uma alternativa para avaliar o condicionamento físico de atletas. O equipamento para prescrição de cadeira de rodas é uma alternativa viável para empresas que fabricam cadeiras de rodas, uma vez que, este equipamento permite personalizar cadeiras de uma forma rápida e, em tempo real, o atleta poderá ter uma pré-avaliação de sua futura cadeira de rodas. O processo de personalização e fabricação de uma cadeira de rodas poderá ser totalmente automatizado utilizando este equipamento.

Pesquisadores: Cleudmar Amaral de Araújo – Coordenador; Gilmar Guimaraes ; Sonia A Goulart Oliveira ; Fernando Lourenço de Souza ; Denize Vilela Novais ; Caroline L. G. de Abreu ; Tobias Anderson Guimarães ; Sérgio Augusto Albino Vieira ; Marcília Valéria Guimarães ; Márcio Peres de Souza ; Deny Gomes de Freitas ; Fabiano Ricardo de Tavares Canto ; Isadora Ferreira Cândido ; Morgana Guilherme de Castro ; Francisco de Paulo Lépore Neto ; Jonas Profeta ; Roberto Mendes Finzi Neto ; Maria Helena Barbosa ; Paulo Cezar Simamoto Jr ; Antônio Marcos Gonçalves de Lima ; Marcos Massao Shimano ; Gabriela Lima Menegaz ; Silvio Soares dos Santos ; Thiago J. Donegá ; Glenio Fernandes Leite ; Lucas de Souza Cardoso ; Renato Montandon de Lima ; Karoline Faria de Oliveira ; José Eduardo Arruda Neto ; Thiago Gomes Cardoso ; Lucas Pereira Ferreira de Rezende ; Diego Algusto Costa Alves ; Foued Salmen Espindola ; Elton Diêgo Bonifácio ; karina Alves Fernandes ; Larissa Rocha Pereira ; vitor Lichfett ; lucimara Esther de Oliveira ; Daniela Moura Yoshida.

Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – Auxílio financeiro.

2015 - Atual

INOVAÇÕES TECNOLÓGICAS EM ESPORTES E SAÚDE PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA OU COM MOBILIDADE REDUZIDA

Descrição: A Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República – SEDH/PR, através da portaria nº 142, instituiu o Comitê de Ajudas Técnicas/CAT formado por um grupo de especialistas brasileiros e representantes de órgãos governamentais. Para o CAT, Tecnologia Assistiva é uma área do conhecimento, de característica interdisciplinar, que engloba produtos, recursos, metodologias, estratégias, práticas e serviços que objetivam promover a funcionalidade, relacionada à atividade e participação, de pessoas com deficiência, incapacidades ou mobilidade reduzida, visando sua autonomia, independência, qualidade de vida e inclusão social. O Brasil possui cerca de 25 milhões de pessoas com deficiência, e menos de 1% desse grupo praticam esportes. Paralelo a esta realidade, estudos comprovam que a prática esportiva, para pessoas com deficiência, é de extrema eficácia para a reabilitação, promoção da qualidade de vida, melhoria da autoconfiança e inclusão social. O esporte também é uma excelente oportunidade de testar seus limites e de desenvolver suas potencialidades, ampliando suas habilidades e capacidades. Aliado a este contexto, vem crescendo no Brasil o número de pessoas com deficiência praticando esportes e consequentemente esportes de alto rendimento, o que se reflete diretamente nos excelentes resultados de certas modalidades paralímpicas. Neste aspecto, foi criado em 2012, no âmbito da Universidade Federal de Uberlândia, o NÚCLEO DE HABILITAÇÃO/REABILITAÇÃO EM ESPORTES PARALÍMPICOS – NH/RESP, no âmbito da FEMEC/UFU, que tem como objetivo organizar, estruturar e planejar ações de pesquisas em tecnologia assistiva voltadas para o desenvolvimento de atividades físicas e esporte, em especial ao desporto paralímpico, visando uma atenção á saúde e a inclusão social das pessoas com deficiência. O NH/RESP é formado por uma equipe multidisciplinar envolvendo mais de 20 Professores das Faculdades de Engenharia Mecânica, Engenharia de Produção, Mecatrônica, Medicina, Educação Física, Fisioterapia e Odontologia. Além de pesquisadores de várias universidades brasileiras e do exterior. Da Universidade Federal de Uberlândia são envolvidos 03 programas de pós-graduação. Além disso, existem associações beneficentes como AACD/Uberlândia, Minas Paralímpica, CEFEP/Uberlândia, Associação dos amigos do Instituto São Rafael/BH e empresas. Esta proposta submetida ao PGPTA No 59/2014 inclui ações direcionadas para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida nos temas, esporte e lazer, adequação postural, saúde, órteses e próteses e auxílios de mobilidade para autonomia pessoal. Para um melhor gerenciamento das várias atividades de pesquisa a serem desenvolvidas nos 05 anos, o projeto global foi subdividido em 7 subprojetos. Os diversos subprojetos enquadram-se no tema geral da proposta que é direcionado para inovações tecnológicas em esportes e saúde, novos métodos e processos de avaliação dedicados para as pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida. Pessoas com mobilidade reduzida, em particular, os idosos necessitam de cuidados especiais relacionados com a prevenção de agravos e deficiências relacionadas, principalmente, na questão da segurança do paciente. Associadas com estas importantes questões para os idosos, está o problema de adequação postural em cadeiras de rodas e leitos cirúrgicos. Pesquisas sobre este tema serão também desenvolvidas e serão propostas melhorias em equipamentos, processos e novos materiais. Conforme pode ser observado nos vários subprojetos existe a previsão de desenvolvimento de novos equipamentos de avaliação do condicionamento físico para cadeirantes, dispositivos de treinamento com novas tecnologias envolvendo vibração mecânica, dispositivos médicos e novos protocolos em atenção à saúde, tecnologias aplicadas a próteses, sistemas prototipados e materiais bioreabsorviveis.

Pesquisadores: Cleudmar Amaral de Araújo – Coordenador; Francisco Paulo Lépore Neto ; Gilmar Guimaraes ; Sonia A Goulart Oliveira ; Fernando Lourenço de Souza ; Silvio Soares dos Santos ; Luciano Martins Neto ; Rogério Sales Gonçalves ; Cecília Amélia de Carvalho Zavaglia ; Antônio Marcos Gonçalves de Lima ; Fabiano Ricardo de Tavares Canto ; Sebastião Rodrigues Ferreira Filho ; Roberto Mendes Finzi Neto ; Maria Helena Barbosa ; Jair Sindra Virtuoso Junior ; Jeffer Eidi Sasaki ; Elizabeth Barichello ; Lucia Aparecida Ferreira ; Suzel Amélia de Carvalho ; Marcos Akira D’ávila ; André Luiz Jardini Munhoz ; Maria Clara Filippini Ierardi ; Marcio Perez de Souza ; Daniela Moura Yoshida.

Financiador(es): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – Auxílio financeiro (PGPTA/CAPES)

2014 - 2016

ATIVIDADES DE PESQUISA DO NH/RESP NA LINHA DO DESPORTO PARALÍMPICO

Descrição: Tecnologia Assistiva é uma área do conhecimento que abrange recursos e serviços com o objetivo de proporcionar maior qualidade de vida aos indivíduos com perdas funcionais advindas de deficiência ou como resultado do processo de envelhecimento. A Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República – SEDH/PR, através da portaria nº 142, instituiu o Comitê de Ajudas Técnicas CAT formado por um grupo de especialistas brasileiros e representantes de órgãos governamentais. Para o CAT, Tecnologia Assistiva é uma área do conhecimento, de característica interdisciplinar, que engloba produtos, recursos, metodologias, estratégias, práticas e serviços que objetivam promover a funcionalidade, relacionada à atividade e participação, de pessoas com deficiência, incapacidades ou mobilidade reduzida, visando sua autonomia, independência, qualidade de vida e inclusão social. Os recursos de tecnologia assistiva são organizados ou classificados de acordo com objetivos funcionais. Dentre estas classificações podemos direcionar ações para o -esporte e lazer. Neste aspecto, foi criado em 2012, o NÚCLEO DE HABILITAÇÃO/REABILITAÇÃO EM ESPORTES PARALÍMPICOS – NH/RESP, no âmbito da UFU, que tem como objetivo organizar, estruturar e planejar ações de pesquisas em tecnologia assistiva voltadas para o desenvolvimento de atividades físicas e esporte, em especial ao desporto paralímpico, visando uma atenção á saúde e a inclusão social das pessoas com deficiência. O NH/RESP é formado por uma equipe multidisciplinar envolvendo mais de 20 Professores das Faculdades de Engenharia Mecânica, Engenharia de Produção, Mecatrônica, Medicina, Educação Física, Fisioterapia e Odontologia. Além de pesquisadores de várias universidades brasileiras e do exterior. Da Universidade Federal de Uberlândia são envolvidos 03 programas de pós-graduação. Além disso, existem associações beneficentes como AACD/Uberlândia, Minas Paralímpica, CEFEP/Uberlândia, Associação dos amigos do Instituto São Rafael/BH e empresas. Nesta proposta são apresentados 04 subprojetos que serão desenvolvidos no NH/RESP ao longo destes 02 anos e que estão relacionados com a avaliação do atleta, reabilitação e melhora da performance. No subprojeto 1 será projetado e construído um novo dispositivo para treinamento muscular do músculo bíceps braquial, em substituição ao sistema convencional de pilha de pesos. O dispositivo inicialmente projetado possui um caráter inovador (registro de patente: PI1003925-2, data depósito 28/06/2011) e permite treinamento/reabilitação utilizando maiores velocidades em função da diminuição da inércia. Neste dispositivo será adaptado um novo sistema para aplicar vibrações mecânicas no sentido do encurtamento das fibras musculares. O dispositivo será projetado, fabricado e adaptado a uma máquina de musculação convencional. No subprojeto 2 será projetada e fabricada uma nova cadeira de arremesso utilizada na modalidade de atletismo paralímpico de arremesso de peso e dardo. O objetivo é auxiliar a melhora da performance dos atletas paralímpicos dessa categoria através de um equipamento que forneça mais estabilidade, modularidade e adaptação aos movimentos. Finalmente, no subprojeto 3 será desenvolvido um novo ergômetro para cadeirantes adaptado com um novo dispositivo de pressão no assento. Este protótipo vem sendo desenvolvido no laboratório desde 2007 e encontra-se em sua 3ª versão onde diversas tecnologias serão utilizadas para melhorar a avaliação do condicionamento físico e proporcionar novas avaliações, como o dispositivo de medição de pressão a ser adaptado no assento. Este equipamento, além de estar disponível para usuários de cadeira de rodas em geral, também estará sendo utilizado em diversas pesquisas da linha de engenharia biomecânica, educação física, fisioterapia e terapia ocupacional.

Pesquisadores: Cleudmar Amaral de Araújo – Coordenador; Francisco Paulo Lépore Neto ; Gustavo Mendonça ; Márcio Bacci da Silva ; Gilmar Guimaraes ; João Cícero da Silva ; Sonia A Goulart Oliveira ; Warner Artur Siquieroli ; Ricardo Fortes de Miranda ; Fernando Lourenço de Souza ; Silvio Soares dos Santos ; Marcos Morais de Sousa ; Estevam Barbosa de Las Casas ; Alberto Martins da Costa ; Leandro Vinhas de Paula ; Rogério Sales Gonçalves ; Caroline L. G. de Abreu ; Creo Mauro de Oliveira ; Valdico de Faria ; Antônio Marcos Gonçalves de Lima ; Alessandro Rodrigues Faria ; Elton Diêgo Bonifácio ; Sérgio Augusto Albino Vieira ; Marcília Valéria Guimarães ; Márcio Peres de Souza ; Deny Gomes de Freitas ; Rogério José Maria Borges ; Fabiano Ricardo de Tavares Canto ; Vincent Bression ; Isadora Ferreira Cândido ; Flávio Domingues das Neves ; Luciano Luporini Menegaldo ; Jonas Profeta ; Moisés Torres ; Lucas S. Cardoso ; Sindeval José da Silva ; Gabriela Lima Menegaz ; Paulo Cézar Simamoto Júnior ; Glenio Fernandes Leite ; Renato Montandon de Lima ; Washington Martins Silva Júnior ; Antônio Geraldo Diniz Roquete ; Marcos Pinotti Barbosa ; José Eduardo Arruda Neto ; Bruno Vidal Guimarães ; Natália Caixeta Rocha ; Rosenda Valdes Arencebia ; Morgana Alves Zumpano ; Renan Luiz Ribeiro ; Luis Gustavo Santana ; Vânia Olivetti Steffen Abdallah ; Leandro de Souza Leão – Integrante.

Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – Auxílio financeiro.

NOVAS TECNOLOGIAS PARA AVALIAÇÃO, TREINAMENTO E REABILITAÇÃO UTILIZADAS NO PARADESPORTO

Descrição: A promulgação da Lei Federal 7853/89 promoveu uma considerável mudança para as pessoas com deficiência. Passou-se de uma visão assistencialista para outra que garante os direitos individuais e coletivos com uma melhoria nos aspectos relacionados com a inclusão social destas pessoas. Recentemente, O plano ?Viver sem Limites?, lançado pelo governo Federal em 2011, sob a tutela da Secretaria de Direitos Humanos e com forte interação com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação e com a Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência estabelece diversas ações, a nível nacional, relacionadas aos direitos da pessoa com deficiência. Neste aspecto, o plano pretende investir em diversas áreas e segmentos do Brasil visando melhorar as condições de acesso à educação, inclusão social, saúde e acessibilidade das pessoas com deficiência. É um programa extremamente inovador e de grande importância para os quase 45 milhões de portadores de necessidades especiais no Brasil. Existe uma grande carência de métodos e processos para a avaliação e análise de capacidades físicas, bem como, treinamento físico para as pessoas portadoras de necessidades especiais, o que motiva o desenvolvimento de projetos voltados para esta população. Neste caso, o esporte é uma importante atividade para promover a inclusão social das pessoas com deficiência e melhorar sua saúde. Visando auxiliar as pessoas necessidades especiais e fomentar as pesquisas na área de esportes paralímpicos foi, recentemente criado na UFU, com o apoio do MCTI/CNRTA, um novo núcleo de referência em tecnologias assistiva voltadas para o esporte, denominado de NÚCLEO DE HABILITAÇÃO/REABILITAÇÃO EM ESPORTES PARALÍMPICOS (NH/RESP), recentemente criado junto ao MCTI/CNRTA e UFU. A missão deste novo núcleo é dar atenção especial à saúde possibilitando uma maior inclusão social, através de ações direcionadas para a melhoria do condicionamento físico e de práticas desportivas em suas diversas modalidades, com o objetivo de aprimorar a qualidade de vida das pessoas com deficiência em geral, e em especial, aumentar e melhorar o desempenho de nossos atletas paralímpicos. Dentro desta visão, o grupo de pesquisa desenvolveu os primeiros protótipos iniciante com o desenvolvimento de um ergômetro de cadeira de rodas em 2007. A proposta deste protótipo era ser totalmente nacional e tinha o objetivo de disponibilizar para as pessoas com deficiência um equipamento dedicado à avaliação de seu condicionamento físico. Nesta primeira fase, o protótipo foi desenvolvido com melhorias adicionais à proposta original do projeto. No edital CNPq Universal de 2008, foram solicitados recursos para dar continuidade à fase 2 do projeto, visando implementar modificações estruturais que foram detectadas na fase de construção, análise e testes do equipamento. Nesta 2ª fase, diversas modificações foram implementadas na parte estrutural, sistemas eletrônicos e novo aplicativo LabView. Conforme poderá ser observado nas justificativas desta proposta, várias melhorias foram feitas na 2ª versão do protótipo do ergômetro. Este equipamento, além de estar disponível para usuários de cadeira de rodas em geral, também estará sendo utilizado em diversas pesquisas da linha de engenharia biomecânica, educação física, fisioterapia e terapia ocupacional. Até o momento, desde o início deste projeto em 2007 foram formados 03 alunos de mestrado e 03 alunos de iniciação científica. Pretende-se agora, com o apoio do CNPq, passar para a 3ª fase do protótipo. Neste caso, novas soluções e alternativas serão implementadas neste novo protótipo, principalmente, em função da avaliação do condicionamento físico de atletas paralímpicos e utilização, também, do equipamento para treinamento em condições específicas de competição e avaliação cardiovascular de pessoas com deficiência de membros inferiores e cadeirantes.

Pesquisadores: Cleudmar Amaral de Araújo – Coordenador; Sonia A Goulart Oliveira ; Silvio Soares dos Santos ; Marcos Morais de Sousa ; Alberto Martins da Costa ; Leandro Vinhas de Paula ; Rogério Sales Gonçalves ; Valdico de Faria ; Elton Diêgo Bonifácio ; Sérgio Augusto Albino Vieira ; Deny Gomes de Freitas ; Moisés Torres ; Lucas S. Cardoso ; Morgana Alves Zumpano ; Renan Luiz Ribeiro – Integrante.

Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – Auxílio financeiro.

HABILITAÇÃO E REABILITAÇÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA ATRAVÉS DO ESPORTE

Descrição: O NÚCLEO DE HABILITAÇÃO/REABILITAÇÃO EM ESPORTES PARALÍMPICOS? NH/RESP vem desenvolvendo diversos projetos de pesquisa envolvendo alunos de Iniciação Científica, Mestrado e Doutorado. As pesquisas são voltadas para pessoas com deficiência, principalmente, na área dos esportes paralímpicos. O NH/RESP foi criado em 2012, no âmbito da UFU, e possui como missão organizar, estruturar e planejar ações de pesquisas em tecnologia assistiva voltadas para o desenvolvimento de tecnologias assistiva no esporte, em especial ao desporto paralímpico, visando uma atenção à saúde e a inclusão social das pessoas com deficiência. A base do núcleo é formada por uma equipe multidisciplinar envolvendo mais de 20 Professores das Faculdades de Engenharia Mecânica, Engenharia de Produção, Mecatrônica, Medicina, Educação Física, Fisioterapia e Odontologia. Além de pesquisadores de universidades brasileiras e do exterior. Da Universidade Federal de Uberlândia são envolvidos 03 programas de pós-graduação. Para não deixar este plano de trabalho muito extenso, mas pensando em uma contextualização mínima de avaliação por parte da FAPEMIG, estamos apresentando nesta proposta 03 projetos, planejados até 2016, que fazem parte de 03 temas de doutorado e participação de alguns alunos de IC. Os 03 projetos são continuidade de uma linha de pesquisa do LPM e NH/RESP relacionada com o desenvolvimento de equipamentos para avaliação do condicionamento físico, treinamento e reabilitação muscular. Procurou-se manter uma coerência com os projetos de pesquisa recentemente aprovados junto ao CNPq visando indicar que os recursos, se aprovados junto à FAPEMIG, servirão para dar suporte para o desenvolvimento destes projetos. No entanto, existem outros 7 projetos de pesquisa sendo desenvolvidos no NH/RESP e orientados pelo coordenador desta proposta, não referenciados neste plano de trabalho. O primeiro projeto é a continuidade do projeto de um novo dispositivo para treinamento muscular do músculo bíceps. Neste dispositivo será adaptado um novo sistema para aplicar vibrações mecânicas no sentido do encurtamento das fibras musculares. No período 2014 a 2016, o dispositivo será fabricado e adaptado a uma máquina de musculação convencional e testado. O segundo projeto está relacionado com um novo dispositivo que vem sendo denominado de Equipamento de personalização de cadeiras de arremesso? e que será utilizado por atletas do atletismo paralímpico, modalidade de arremesso de peso e dardo. O objetivo é auxiliar na melhora da performance dos atletas paralímpicos dessa categoria através de um equipamento que possibilite avaliar a performance destes atletas analisando as questões da adequação na postura sentada através da análise de um mapa de pressão. O terceiro projeto está relacionado com o desenvolvimento de um novo ergômetro para cadeirantes adaptado com um novo dispositivo de pressão no assento. Este protótipo vem sendo desenvolvido no laboratório desde 2007 e encontra-se em sua 3ª versão onde diversas tecnologias serão utilizadas para melhorar a avaliação do condicionamento físico e proporcionar novas tecnologias, como o dispositivo de medição de pressão a ser adaptado no assento. O desenvolvimento destes equipamentos é importante para este público, que é extremamente carente em pesquisas dedicadas, aliás, este paradigma vem melhorando a partir do plano Viver Sem Limites- do governo federal. Porém, com poucos pesquisadores envolvidos em termos de tecnologias assistiva. Principalmente, se comparamos com os investimentos no exterior. Novos protocolos e métodos vão surgir, novas patentes e o mais importante, uma efetiva contribuição para melhoria da inclusão social destas pessoas. A formação de nossos alunos de doutorado, mestrado e IC são importantes, mas penso que, a contribuição social, principalmente para os nossos atletas paralímpicos, é mais relevante.

Pesquisadores: Cleudmar Amaral de Araújo – Coordenador / João Cícero da Silva ; Marcos Morais de Sousa ; Alberto Martins da Costa ; Rogério Sales Gonçalves ; Caroline L. G. de Abreu ; Valdico de Faria ; Elton Diêgo Bonifácio ; Sérgio Augusto Albino Vieira ; Márcio Peres de Souza ; Deny Gomes de Freitas ; Fabiano Ricardo de Tavares Canto ; Jonas Profeta ; Sonia A G Oliveira ; Silvio Soares dos Santos ; Lucas de Souza Cardoso ; Moisés de Matos Torres.

Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais – Auxílio financeiro.

2012 - 2018

CRIACAO DO NUCLEO DE HABILITACAO REABILITACAO EM ESPORTES PARALIMPICOS NHRESP

Pesquisadores: Cleudmar Amaral de Araújo – Coordenador; Fernando Lourenço de Souza; Silvio Soares dos Santos ; Alberto Martins da Costa ; Rogério Sales Gonçalves ; Fabiano Ricardo de Tavares Canto ; Sonia A G Oliveira.

2009 - 2011

PESQUISAS INTERDISCIPLINARES NA LINHA DE BIOMECÂNICA – ERGÔMETRO PARA CADEIRANTES PARAOLÍMPICOS E PESQUISAS NA ÁREA MÉDICA

Descrição: A proposta de trabalho apresentada refere-se à continuação de um projeto de pesquisa que foi aprovado pela FAPEMIG em 2006, que possuía como objetivo o desenvolvimento de um ergômetro para cadeirantes. Neste caso, a proposta era construir um equipamento destinado a pessoas com paraplegia, não atletas e, principalmente, os atletas paraolímpicos que são muito carentes em equipamentos dedicados para avaliação de seu condicionamento físico. Na continuidade deste projeto, a proposta é melhorar o protótipo desenvolvendo-o como um produto acabado, funcional e de baixo custo que possa ser acessível a centros de treinamento, universidades e setores produtivos da área. Paralelamente, os recursos também serão utilizados no auxílio a dois projetos de pesquisa na área médica que é o desenvolvimento de um novo procedimento cirúrgico na área neurológica para tratamento de traumatismos cranianos, AVC e tumores, que são causadores de danos cerebrais. Este procedimento vem sendo aplicado e encontra-se em estudos científicos, porém, os resultados iniciais indicaram uma redução no índice de mortalidade e morbidade para cerca de 20%. Na cirurgia convencional realizada no Brasil as taxas de mortalidade chegam a 70% e morbidade a 90%. Portanto, o processo proposto está salvando vidas! Além disso, em um outro projeto de pesquisa é estudado o fenômeno da osseointegração através da análise in vitro de cultura de células sobre o processo da osteogênese. A ideia é avaliar e quantificar através de modelos matemáticos o fenômeno da osseointegração que é de fundamental importância em implantes dentários. Os recursos solicitados complementarão os financiamentos, auxiliando na aquisição de materiais de consumo, equipamentos e na geração de produção bibliográfica e apresentação de trabalhos.

Pesquisadores: Cleudmar Amaral de Araújo – Coordenador; Sonia A Goulart Oliveira ; Ricardo Fortes de Miranda ; Silvio Soares dos Santos ; Antônio Geraldo Diniz Roquette – Integrante.

Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais – Auxílio financeiro.