Diretora Simone Silveira da Escola Municipal Prof. Milton de Magalhães Porto, e professoras Fernanda Soares Faria e Maria de Lourdes Nunes com pesquisadora Ana Sara Tomé dos Programas Sociais do CNT

21 julho 2021

Texto Cristiane de Paula – Ascom Cinstesp.br®

 

Desta vez o Programa Caminhos da Inclusão do CNT (Centro Nacional de Tecnologias para Pessoas com Deficiência e Doenças Raras) “Caminhos da Inclusão” chegou à uma escola pública, a Professor Milton de Magalhães Porto, da Rede Municipal de Uberlândia.

Na Escola Municipal Milton de Magalhães Porto foram entregues 250 kits lúdicos educacionais, a pesquisadora do CINTESP.Br®, dos Programas Sociais do CNT, Ana Sara Tomé, falou em reunião com a direção e professores da educação especial sobre as diversas ações apoiadas pelo Programa Caminhos da Inclusão, entre eles as Olimpíadas do Conhecimento promovidas pelo MCTI e a Gincana 1º Desafio “Ideias Brilhantes” Tecnologia Assistiva para a Vida Diária voltado para estudantes do ensino fundamental dois, do 6º ao 9º ano, de escolas de todo Brasil, programas apresentados no site do MCTI. O projeto contará com apoio das instituições vinculadas ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações e de colaboradores que por meio de palestras e premiações contribuirão para a medida.

“Estamos muito felizes de recebermos esse material e essas formas de incentivo como os Programas do Ministério a respeito da inclusão e da acessibilidade vamos repassar para nossos alunos, aqui temos cerca de 750 crianças e já até estamos pensando em propor um desafio aos professores de criarmos um livro da Escola com o trabalho dos alunos sobre o que entenderem desse material, é muito bom promover essa cultura de inclusão já nos primeiros anos de escola”, disse a diretora Simone Silveira.

“Caminhos da Inclusão” foi criado há 3 meses e já envolveu mais de 500 crianças na cultura da inclusão por meio da educação. O Programa do CNT é desenvolvido por meio do CINTESP.Br®, em Uberlândia e faz parte das ações da Secretaria de Articulação e Promoção da Ciência (SEAPC), coordenado pelo Diretor Carlos Rogério Antunes da Silva do Departamento de Articulação e Comunicação da SEAPC do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).

O Programa compreende em distribuir o primeiro volume do livro CRESCER que apresenta, histórias para despertar na criança conceitos como igualdade, acessibilidade, inclusão, respeito e tecnologia assistiva, interagindo com as diversidades inerentes de cada criança. Também foi entregue material sobre as ações do MCTI em favor da ciência, tecnologia e inovação por um Brasil inclusivo, um livro da história da Semana Nacional da Ciência, Tecnologia e Inovação, materiais de conscientização sobre cuidados com a higienização e a proteção contra a COVID-19 e jogos infantis como um quebra cabeça e materiais de montar.

A Escola Professor Milton de Magalhães Porto está em funcionamento há mais de 20 anos, faz parte da Rede Pública Municipal de Uberlândia e trabalha os conceitos de acessibilidade, empreendedorismo e sustentabilidade, foi a primeira escola pública no Brasil a receber do Greenpeace equipamento fotovoltaico para geração de energia solar.

Cristian Castilho Lucindo, aluno do 1º ano do fundamental da Escola Milton Porto e Cristiane de Paula, jornalista do CINTESP.Br®

“Todas as crianças podem ser felizes seja ela deficiente ou não, e que devemos tratar todos iguais, porque não posso fazer com o outro o que eu não quero que faça comigo”, disse Helena Santana Costa 8 anos, aluna do 3º ano do fundamental e a pintura feita em um dos trabalhos da revista CRESCER

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário