A Seleção masculina de vôlei sentado conquistou a vaga para os Jogos Paralímpicos de Tóquio ao faturar a medalha de ouro no Parapan de Lima em 2019. Foto: Washington Alves/EXEMPLUS/CPB

A Seleção masculina de vôlei sentado conquistou a vaga para os Jogos Paralímpicos de Tóquio ao faturar a medalha de ouro no Parapan de Lima em 2019. Foto: Washington Alves/EXEMPLUS/CPB

A Seleção Brasileira masculina de vôlei sentado realiza nesta semana a primeira fase de treinamentos em Sergipe. A equipe, que já possui vaga garantida para os Jogos Paralímpicos de Tóquio, em agosto, retorna às quadras para treino coletivo após dez meses distante devido à pandemia do Covid-19.

Os treinos são divididos em parte física na academia e treinos coletivos na quadra do Colégio Master, em Aracaju. Reunidos desde o último domingo, 17, os atletas da equipe masculina treinam até este sábado, 23. Ao todo, 15 atletas foram convocados, sendo dois pela primeira vez.

“Nossa grande preocupação é não saturar os atletas. Todos estavam fazendo atividades em casa e alguns clubes já conseguiram retomar os treinos e isso também nos ajudou. A gente precisa dar entrosamento, mas a fase de treinamentos está sendo ótima. Os atletas responderam super bem, todos estão se dedicando bastante. Precisamos trabalhar muito sério para alcançar nosso objetivo, uma medalha em Tóquio”, explicou o técnico da Seleção masculina, Célio Mediato.

Para atingir o melhor nível técnico, tático, físico e mental, a Confederação Brasileira de Voleibol para Deficientes (CBVD) montou um cronograma de atividades de 17 a 23 de janeiro, com o time masculino, e de 24 a 30 com a equipe feminina, atual medalhista de bronze no Rio 2016, ambas com vaga para os Jogos na capital japonesa.

As vagas para os Jogos de Tóquio foram conquistadas nos Jogos Parapan-Americanos de Lima 2019. Na ocasião, a equipe masculina faturou a medalha de outro e a feminina a prata.

Patrocínio 
O vôlei sentado tem patrocínio das Loterias Caixa.

FONTE: Assessoria de Comunicação do Comitê Paralímpico Brasileiro (imp@cpb.org.br)

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário